C ientistas da Nasa apresentaram um estudo que detalha como a areia do deserto do Saara, no norte da África, viaja pelo oceano Atlântico a...

Você sabia que a Floresta Amazônica é fertilizada pelo Deserto do Saara?

Cientistas da Nasa apresentaram um estudo que detalha como a areia do deserto do Saara, no norte da África, viaja pelo oceano Atlântico até fertilizar a floresta Amazônica.

A areia rica em fósforo viaja quase 5 mil quilômetros do norte da África até a América do Sul.



A areia do deserto contém fósforo, um dos principais ingredientes para o crescimento das plantas. O elemento é raro na Amazônia, mas abundante no Saara.

Isso porque o deserto africano era um lago durante a pré-história, repleto de algas e micro-organismos. Há 7 mil anos, esse lago secou. Ficou sobrando a areia do leito do lago, rica em nutrientes.

Parte dessa areia fica em uma depressão na região do Chade que, devido a sua geografia, é atingida por constantes e gigantescas tempestades de areia. O vento é tão forte que consegue carregar a areia rica em fósforo por quase 5 mil quilômetros, até a América do Sul.

A floresta amazônica precisa do fósforo, já que o elemento é raro por ali. A água da chuva e dos rios carrega o fósforo da matéria orgânica em decomposição no solo amazônico, impedindo que ele se deposite e alimente as plantas locais.


Segundo os satélites da Nasa, mais de 27 milhões de toneladas de areia viaja do Saara para a Amazônia a cada ano, com cerca de 22 mil toneladas de fósforo.

Os pesquisadores usaram um instrumento óptico chamado Lidar para medir com pulsos de luz a formação química das substâncias na atmosfera da região.

Segundo a Nasa, o próximo passo da pesquisa é entender a quanto tempo esse processo acontece e conseguir prever até quando o Saara poderá fertilizar a Amazônia.



Se gostou, por favor, deixa uma curtida! (=





Compartilhe este artigo!