A Caverna do Diabo, apesar do nome soar um pouco assustador, é a maior do estado de São Paulo e uma das mais ricas em formações rochosas e em número de galerias do Brasil e fica a cinco minutos da Cachoeira de Meu Deus.

A caverna também conta com escadas, passarelas e iluminação artificial para circulação entre suas incríveis formas e cores.  Possui 9 quilômetros de galerias, sendo 800 metros para a visitação do público.

Descoberta por pesquisadores há mais de 100 anos, já era conhecida e utilizada por indígenas e quilombolas há séculos, cuja história é povoada pelas mais incríveis lendas.
Os índios, por exemplo, não ousavam entrar na gruta por acreditarem que, se uma gota d’água os atingisse, eles seriam petrificados. Os escravos, por sua vez, costumavam dizer que os sons ouvidos na entrada da caverna eram gemidos de almas penadas, castigadas pelo demônio. Já os moradores da região acreditavam que o diabo residia dentro da gruta, saindo, vez ou outra, à meia-noite, para atacar as plantações.


Justamente por isso, a Caverna do Diabo ou Gruta da Tapagem é um lugar que merece ser visitado pessoalmente. A caverna fica localizada no Parque Estadual da Caverna do Diabo e é um dos mais importantes parques do Estado de São Paulo, localizado entre os municípios de Iporanga, Eldorado e Barra do Turvo, tendo como seu principal atrativo, a Caverna.

As estalactites, estalagmites, cortinas de pedras e cascatas de calcita se misturam do chão ao teto criando formas incríveis. As estalactites se formaram no teto da caverna através do incansável gotejamento na camada de calcário, enquanto as estalagmites se elevam do chão, numa proporção de 1 cm a cada 10 anos. Algumas se emendam do chão ao teto formando colunas imensas.


No começo da caverna é possível ver um riacho, o qual deixa tudo ainda muito mais bonito. O rio segue o seu percurso até sumir na escuridão.


Muitas formas foram nomeadas pelos guias e espeleólogos da caverna que usaram sua imaginação e vão nos narrando no caminho. Os salões são muito amplos, existem lugares onde passamos ao lado de precipícios, porém há corrimãos.

Para visitar a Caverna do Diabo é obrigatório o acompanhamento de um Monitor Local. Os monitores ficam na portaria do parque e são pagos junto com o ingresso, que custa em média R$ 12. Cada monitor guia um grupo de no máximo doze visitantes por vez. É obrigatório o uso de calçados fechados.

Como chegar
A Caverna está localizada no município de Eldorado, Sul do estado de São Paulo, a cerca de 300 km de distância da capital, no km 111 da rodovia SP 165.

O acesso pavimentado se dá pela Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), saída 475, na cidade de Jacupiranga, onde há uma placa indicando “Caverna do Diabo”, à direita de quem trafega no sentido São Paulo-Curitiba.

Clique no mapa abaixo para ver a localização no Google Maps.
https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=1458912871483300579#editor/target=post;postID=3708328764164610460

 A partir daí são mais 64 km, até Eldorado pela SP-193, depois pela SP-165, estrada estreita e sem acostamento. Depois de Eldorado a estrada vai sempre costeando o Rio Ribeira e as plantações de bananeiras, até chegar ao acesso também asfaltado de 5 km até a portaria do parque da caverna do Diabo.

Caverna do Diabo: lendas que dão medo e natureza que impressiona


A Caverna do Diabo, apesar do nome soar um pouco assustador, é a maior do estado de São Paulo e uma das mais ricas em formações rochosas e em número de galerias do Brasil e fica a cinco minutos da Cachoeira de Meu Deus.

A caverna também conta com escadas, passarelas e iluminação artificial para circulação entre suas incríveis formas e cores.  Possui 9 quilômetros de galerias, sendo 800 metros para a visitação do público.

Descoberta por pesquisadores há mais de 100 anos, já era conhecida e utilizada por indígenas e quilombolas há séculos, cuja história é povoada pelas mais incríveis lendas.
Os índios, por exemplo, não ousavam entrar na gruta por acreditarem que, se uma gota d’água os atingisse, eles seriam petrificados. Os escravos, por sua vez, costumavam dizer que os sons ouvidos na entrada da caverna eram gemidos de almas penadas, castigadas pelo demônio. Já os moradores da região acreditavam que o diabo residia dentro da gruta, saindo, vez ou outra, à meia-noite, para atacar as plantações.


Justamente por isso, a Caverna do Diabo ou Gruta da Tapagem é um lugar que merece ser visitado pessoalmente. A caverna fica localizada no Parque Estadual da Caverna do Diabo e é um dos mais importantes parques do Estado de São Paulo, localizado entre os municípios de Iporanga, Eldorado e Barra do Turvo, tendo como seu principal atrativo, a Caverna.

As estalactites, estalagmites, cortinas de pedras e cascatas de calcita se misturam do chão ao teto criando formas incríveis. As estalactites se formaram no teto da caverna através do incansável gotejamento na camada de calcário, enquanto as estalagmites se elevam do chão, numa proporção de 1 cm a cada 10 anos. Algumas se emendam do chão ao teto formando colunas imensas.


No começo da caverna é possível ver um riacho, o qual deixa tudo ainda muito mais bonito. O rio segue o seu percurso até sumir na escuridão.


Muitas formas foram nomeadas pelos guias e espeleólogos da caverna que usaram sua imaginação e vão nos narrando no caminho. Os salões são muito amplos, existem lugares onde passamos ao lado de precipícios, porém há corrimãos.

Para visitar a Caverna do Diabo é obrigatório o acompanhamento de um Monitor Local. Os monitores ficam na portaria do parque e são pagos junto com o ingresso, que custa em média R$ 12. Cada monitor guia um grupo de no máximo doze visitantes por vez. É obrigatório o uso de calçados fechados.

Como chegar
A Caverna está localizada no município de Eldorado, Sul do estado de São Paulo, a cerca de 300 km de distância da capital, no km 111 da rodovia SP 165.

O acesso pavimentado se dá pela Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), saída 475, na cidade de Jacupiranga, onde há uma placa indicando “Caverna do Diabo”, à direita de quem trafega no sentido São Paulo-Curitiba.

Clique no mapa abaixo para ver a localização no Google Maps.
https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=1458912871483300579#editor/target=post;postID=3708328764164610460

 A partir daí são mais 64 km, até Eldorado pela SP-193, depois pela SP-165, estrada estreita e sem acostamento. Depois de Eldorado a estrada vai sempre costeando o Rio Ribeira e as plantações de bananeiras, até chegar ao acesso também asfaltado de 5 km até a portaria do parque da caverna do Diabo.

0 Comentários